Mobilidade urbana e seus desafios no Brasil

O que é mobilidade urbana?

A mobilidade urbana se refere as condições que as pessoas e bens tem de se locomover dentro dentro das cidades, seja por meio dos veículos ou da infraestrutura dos centros urbanos.

Só que uma série de fatores tem influenciado na mobilidade urbana e provocado uma crise no setor. O excesso de carros nos espaços urbanos, por exemplo, gera grandes congestionamentos que atrapalham a vida de quem precisa se locomover. 

Para melhorar a mobilidade urbana, o governo vem criando novas ações para o setor. Mas, também é necessário que cada cidadão faça sua parte para facilitar o ir e vir de todos. Confira neste post, tudo o que precisa saber sobre mobilidade urbana. 

Mobilidade urbana e urbanização

cidade com pessoas nas ruas andando

Para compreender o cenário atual da mobilidade urbana, precisamos entender o que é urbanização, ou seja, a expansão das cidades tanto em área como em população, e como esse processo aconteceu no país. 

No Brasil, a urbanização começou com a industrialização na virada do século XIX para o XX. No período, o desemprego atingiu a área rural e a população migrou do campo para as cidades.

Devido a essa migração, o espaço urbano ficou com um número maior de habitantes. Em consequência setores como infraestrutura, habitação e economia sofreram grandes impactos, pois as cidades não estavam preparadas para receber essa quantidade de pessoas.

Desde então, a população cresce de uma maneira desproporcional ao crescimento das cidades. Para se ter uma ideia, somente o nosso país tem mais de 208 milhões de habitantes, segundo dados de estudo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em julho de 2018. 

Desafios da mobilidade urbana

engarrafamento de carros no horário de pico

As pessoas precisam se deslocar grandes distâncias para chegar aos seus destinos, seja o trabalho, escola dos filhos, faculdade ou mesmo para suas casas. E como não existe qualidade no transporte coletivo, as pessoas preferem comprar o veículo próprio para se deslocarem nas cidades. 

A quantidade maior de carros e motos circulando nas ruas causam congestionamentos nas vias de acesso, acidentes e sucateiam as estradas.

Para quem é pedestre, a situação também é difícil. As calçadas não tem árvores e nem sombras, são esburacadas e com bastante lixo no chão, tudo isso atrapalha o ir e vir das pessoas. Mas, porque será que isso acontece?

A resposta é simples, os espaços urbanos são projetados (isso, quando há um planejamento) sem pensar na mobilidade urbana de todos. Para resolver essa situação, é necessário estabelecer uma Política Nacional de Mobilidade Urbana

O que é a Política Nacional de Mobilidade Urbana?

A Política de Mobilidade Urbana ou o Plano de Mobilidade Urbana são as ações pensadas para melhorar o deslocamento das pessoas, de uma maneira sustentável, além de atender as demandas dos cidadãos. A Lei 12.587 de 2012 sancionada no então governo Dilma, instituiu a Política.

Segundo a lei, as cidades com mais de 20 mil habitantes devem contar com planos de mobilidade para conseguir financiamentos junto ao governo federal para projetos de transporte urbano. 

A lei também estabelece que os pedestres devem ter prioridade sobre os ciclistas, que devem ter prioridade sobre o transporte coletivo e em seguida, transporte de carga. Já em último lugar, estariam os carros e motos. Confira como ficaria essa priorização no infográfico a seguir:

infográfico sobre a mobilidade urbana
Pirâmide Inversa da Mobilidade
Fonte: Bicicleta nos planos

A Política de Mobilidade Urbana conta com uma série de objetivos para melhorar o deslocamento nos espaços urbanos. Dentre eles, temos a promoção da inclusão social, o acesso de todos aos bens e serviços disponíveis e a melhoria de condições urbanas.

Outros objetivos são definir o que é de responsabilidade nacional, estadual ou municipal quando se fala de mobilidade urbana. Além de promover a melhoria da qualidade de vida dos indivíduos e fortalecer os municípios, responsáveis pelo transporte coletivo.

O plano também aborda sobre a mobilidade urbana sustentável, ou seja, o deslocamento dentro das cidades deve ser pensado de forma a causar menores danos ambientais.

Algumas soluções seriam utilizar veículos limpos que causam menos poluição, além de promover melhorias e aumentar, por exemplo, o número de ciclovias nas cidades. 

O que pode ser feito para melhoria da mobilidade urbana?

estação de bicicletas

Como já vimos, a mobilidade urbana tem grandes desafios. Mas, algumas soluções podem facilitar o ir e vir dos cidadãos e melhorar a qualidade de vida. Confira lista com algumas dessas medidas. 

  1. A melhoria do transporte público, oferecendo um serviço com maior qualidade e segurança aos seus usuários, além de preços mais acessíveis a toda a população;
  2. A adoção de novos meios de transportes, como bicicletas ou deslocamentos a pé. No entanto, para que as pessoas adotem esses modelos, é necessário a melhoria da infraestrutura das ciclovias e das calçadas;
  3. A adoção de outros meios como metrôs subterrâneos ou de superfícies, que permitem o transporte de usuários com qualidade, conforto e maior agilidade;
  4. Outra medida seria cobrar pedágio urbano sobre os carros que circulam nas regiões centrais. Londres e Suécia, por exemplo, já adotaram essa ação;
  5. A adoção de carona solidária, onde as pessoas que fazem diariamente o mesmo percurso compartilham o mesmo veículo;
  6. A adoção do rodízio de veículos, medida já adotada em São Paulo, onde há a restrição da circulação dos veículos em certos dias, locais e horas de acordo com a placa;
  7. Restringir a circulação de certos veículos, como caminhões e transportes de cargas em certos dias e horários;
  8. Acessibilidade maior para os usuários com alguma deficiência. 

No Brasil, três cidades brasileiras são exemplos de mobilidade urbana. São elas, Belo Horizonte, São Paulo e Curitiba. 

Na capital mineira, o sistema BRT Move proporciona mais qualidade aos passageiros, já na capital paulista, os metrôs contam com bicicletários onde os usuários podem guardar suas bicicletas. Por fim, na capital do Paraná, os cidadãos possuem um sistema para recarregar as passagens do transporte público por meio da bilhetagem eletrônica. 

Em nível mundial, segundo reportagem do G1  as cidades que são exemplos em mobilidade urbana são: Copenhague, na Dinamarca; Berlim, na Alemanha; Hong Kong; Amsterdã, na Alemanha; Zurique, na Suíça; Londres, no Reino Unido e Cambridge, no Reino Unido. 

Lança Urbanismo e Mobilidade Urbana

bicicletário do empreendimento Cidade Viva Campo Verde da Lança Urbanismo
Bicicletário – Cidade Viva Campo Verde

Agora que já compreendeu o que é mobilidade urbana e qual sua importância para a qualidade de vida dos cidadãos, conheça um pouco mais sobre os empreendimentos da Lança Urbanismo. 

Nós da Lança Urbanismo, somos uma empresa de loteamentos, preocupada com o bem-estar de cada um de nossos clientes. Logo, nossos empreendimentos são pensados de maneira a proporcionar o deslocamento de maneira fácil e sustentável, por meio de ciclovias e uma pavimentação de alta qualidade, sem falar nas áreas verdes. 

Alguns dos nossos projetos são o Residencial Morumby e o Residencial Jardins dos Lagos, cujos diferenciais são a localização privilegiada, áreas verdes, paisagismo de alta qualidade, qualidade de vida e excelente infraestrutura, empreendimentos já entregues. E também, os Lançamentos Cidade Viva – Parque Três Poderes 1 e 2. 

Após conhecer um pouco mais sobre a mobilidade urbana, comente abaixo o que acha do atual cenário e o que pode ser feito para melhorar a mobilidade nas cidades. Ah, e não se esqueça de compartilhar o conteúdo nas redes sociais. 

(Visited 196 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *